domingo, 4 de setembro de 2011

O Plano dualista.





"O plano dualista é o plano do ego. O plano unificado é o mundo do centro divino, o eu maior. O ego encontra roda a sua existencia no palano em que se sente a vontade. Renunciar a esse plano significa abandonar as exigencias do pequeno ego. Isso não significa aniquilação, mas para o ego parece ser exatamente isso. Na verdade o ego é uma particula, um aspecto isolado da inteligencia-mestram o eu interior, verdadeiro, Aquele não é diferente deste; apenas há nele menos do eu verdadeiro. por ser separado e limitado ele é menos confiavel. Mas isso não signfoca que o ego deva ser destruido aniquilado. Na verdade chegará o momento em que o ego se integratá ao verdadeito eu., formando um unico eu, mais pleno, mais equipado. Ele terá um patrimonio maior do que você pode imaginar.

Mas o ego separado pensa que esse desenvolvimento significa aniquilação. No seu modo limitado, o ego existe apenas como um ser separado; daí ele busca ainda maior separação. (....)

Enquanto houver identificação total com o ego, você continuará a cultivar mais separação,e a consequencia será a auto-idealização. Desse ponto de vista a autoglorificação e a idealização parecem ser a salvação e a garantia que ameniza seus medos existenciais. O ego pensa: "se todos ao meu redor me considerarem especial, melhor que os outros, esperto, bonito, talentoso, feliz, infeliz ou mesmo mau - ou qualquer outra caracteristica que tenha escolhido para sua autoglorificação- então receberei a privação, o amor, a admiração, e a concordancia de que necessito para viver". Esse argumento significa que em algum ponto do seu interior, você acredita que pode existir apenas se for percebido, afirmado e confirmado pelos outros. Isso pode parecer exagero mas não é.

Assim sua salvação parece estar nos que reconhecem a sua existencia somente se você for especial. Ao mesmo tempo , a mensagem emitida pelo eu verdadeiro , e que você interpreta mal, quer que você demone a vida, mas você a domina no pano errado. Toda pseudo-solução é um artificuio que vocês dispões para eliminar os obstaculos que o inpedem de ser algo especial."

( O guia. Livro o caminho da auto transformação. Capitulo 5: Unidade e dualidade)

Coloquei um trecho desse capitulo porque ele foi muito esclarecedor para mim. Mas antes de falar especificamente o que ele me esclareceu gostaria de fazer algumas observações. Notem que esse ser especial que o ego que não precisa necessariamente ser especial de uma forma positiva.

A verdade é que tanto se achar o pior como p melhor são duas faces da mesma moeda. Ambas são dualistas. Ambas vem da crença de que melhores e piores existem. Ambos se veem diferentes das outras pessoas. Ambos se veem como especiais. Um especial por ser o melhor e o outro especial por ser o pior.

Quem se considera o melhor espera receber amor através da admiração. E quem se considera o pior espera receber através da piedade. Nem a admiração nem a piedade são amor. No entanto é isso que a pessoa acredita que recebe nesses casos. Sendo assim ambos dependem de outras pessoas para se sentir bem.

E eu estive por muito tempo no extremo do pior. Mas gora isso está mudando. Só que as vezes eu me pego tentando exigir que as outras pessoas me deem valor. se as pessoas não veem meu crescimento eu acabo achando isso injusto. E isso ainda é ser dependente das outras pessoas. Só terei transcendido a dualidade quando o que os outros consideram de mim não for tão importante. Coisa que eu consigo em alguns momentos , mas em outros não. O que é natural. Já que não se muda de uma hora para outra. E é essencial eu respeitar o meu próprio ritmo.