domingo, 22 de maio de 2011

Se subestimar impede a pessoa de amar

 amor42

 

“A proibição contra o amor vem de dois enganos básicos.  O primeiro é a má interpretação da realidade. Em outras palavras, a ilusão, A ilusão produz confusão junto com uma serie de outras emoções negativas tais como medo, hostilidade, separatividade, auto-piedade, ambigüidade, vingança.

Essas emoções tornam o amor impossível. É incompreensível ter medo do amor desde que seus conceitos e percepções internas e sistemas de valores estejam harmonizados com a realidade.

O segundo engano é a subestimação do self e os conseqüentes sentimentos de inferioridade. Isso pode soar quase paradoxal. Visto superficialmente, certamente parece possível sentir-se inferior sem que isso impeça sua habilidade de amar.

Contudo, meus amigos, não é bem assim, pois, no momento em que você se subestima, não consegue ver a outra pessoa como algo real. Como resultado dos seus sentimentos de fraqueza e inadequação, as outras pessoas assumem i papel de gigantes contra o que vocês se defendem rejeitando, ressentindo-se ou desprezando-os.

Mesmo quando esse ultimo não acontece não lhes é possível a vulnerabilidade ou as necessidades humanas da outra pessoa. Sua fraqueza e força tornam-se descoladas e distorcidas.”

( O Guia. Palestra 133: O amor como um movimento espontâneo da alma)

Achei esse trecho da palestra extremamente interessante. Principalmente a parte que fala que a subestimação de si mesmo é obstáculo para o amor. No começo  eu tive dificuldade em compreender isso. Mas agora está claro.

Está claro porque eu passei a observar as minhas própria reações. A rejeição a outra pessoa nesse caso não é uma coisa obvia, mas acontece. Ao menos no meu caso. é mais ou menos assim . Eu penso: Aquela pessoa é tão legal, tão inteligente, tão sabia jamais seria a minha amiga.” Então o que acontece? Eu nem ouso me aproximar dela. Sequer dou a chance de ela me conhecer. E dessa forma eu a rejeito para que ela não me rejeite. Eu já fiz muito isso. Agora, graças ao meu trabalho de auto conhecimento, isso tem diminuído cada vez mais. E percebo surpresa que as pessoas não estão propensas a me rejeitar. srsrs

A outra questão também acontece. A imagem da outra pessoa fica totalmente distorcida para quem se subestima. Você não vê a outra pessoa. Você vê um super. herói. E quando a pessoa demonstra alguma fraqueza você não sente empatia. Você fica extremamente surpreso quando não decepcionado. E com certeza acaba exigindo mais da pessoa do que ela pode dar. E isso com certeza não é amar.

Essa também é uma reação que eu já observei em mim. Mas que agora graças a minha consciência também está diminuindo…

3 comentários:

  1. Gostei.
    Muitas vezes nao damos chance ao outro e isso nos afasta cada vez mais do amor. E ainda nos vemos como vitima do universo, como se o universo estivesse pronto a nos destruir. E' uma dualidade muito grande. Briga de conflitos.
    Beijos, continue no seu caminho de auto descoberta... E' muito bom ter vc como amiga.
    Beijjos, beijos

    ResponderExcluir
  2. As relações humanas são sempre complicadas e cheias de reservas.
    Algumas das reservas são necessárias, outras nascem por puro medo e também egoísmo, mas só vamos superando tudo a medida em que vamos vivendo e passando por experiências.
    Um texto muito reflexivo e real.
    Gostei!
    Abraços, menina.

    ResponderExcluir
  3. No meu caso, por me subestimar, vejo a pessoa tão perfeita e inalcansável que acho que ela nunca olharia para mim. Isso vai em destruindo aos poucos e de repente, perdi toda a minha dignidade me arrastando e procurando...Infelicidade.

    ResponderExcluir