domingo, 6 de fevereiro de 2011

Enfraquecendo a Corrente do Não

sim

“Neste caminho, vocês aprenderam em certas ocasiões a rever toda a sua vida à luz do progresso feito, para verificar não apenas em que aspectos vocês superaram velhos obstáculos, mas também o que falta fazer. Quando vocês consideram áreas da vida em que a realização ainda não ocorreu e encontram a correspondente corrente do não, também ajuda comparar essas áreas com os aspectos da vida em que vocês já se realizaram. Analisem, então, a correspondente corrente do sim. A expressão sutil, porém nítida, de certeza de que essa coisa boa é de vocês, que será sempre e facilmente de vocês, que ela não constitui uma dificuldade e não gera o medo de perdê-la. Pode ser bom também fazer a mesma investigação com respeito às áreas em que vocês se acham merecedores, em que estão dispostos a pagar o preço, a dar; observar que, na verdade, as atitudes gerais de vocês nas áreas saudáveis são enormemente diferentes dos sentimentos, emanações, expectativas, reservas, etc., nas áreas em que não há realização. Essa comparação é muito proveitosa, muito útil e vai resultar em um aumento da compreensão. Sintam claramente a diferença entre a sua abordagem, emoções e expressões sutis nas situações de vida saudáveis, realizadas, satisfatórias, e naquelas em que vocês encontram sistematicamente um padrão de frustração e insatisfação.

Não é fácil, mas sem dúvida é possível passar da corrente do não para a corrente do sim. Vocês não poderão sair da corrente do não enquanto mantiverem a convicção de que vocês não têm nada a ver com o problema, que não têm condições de mudar uma situação difícil, que não podem evitar o sentimento de negação. Mas quando vocês concluírem que o fator decisivo final são vocês mesmos, a sua vontade, a sua determinação, o fim do sofrimento estará próximo. Digam “quero sair disso. Para tanto, quero saber o quê, especificamente, está atrapalhando a passagem neste momento. Sei que meu eu real, que as forças universais construtivas me ajudarão e me guiarão no momento em que eu decidir tomar uma providência a esse respeito. Estou pronto para ver o que vai surgir.” Continuem a cultivar as atividades nesse sentido. O que antes parecia impossível subitamente vai parecer viável. Meditação descontraída, concentração e um mínimo de auto-exame diário são medidas indispensáveis. Estas são as ferramentas. Aprender a usá-las da maneira apropriada, dirigida e adequada em qualquer fase do caminho faz parte do processo de crescimento.

Como eu já disse muitas vezes, nada é em si certo ou errado, saudável ou doentio, construtivo ou destrutivo. Tudo depende sempre do “como”. Isso também se aplica a sentir, vivenciar, expressar a atitude de “eu quero”, com relação a uma realização específica. O simples fato de haver tal atitude não garante que seja uma corrente do sim. Sem falar do desejo contrário no plano inconsciente, esse “sim” pode ser a expressão de ganância e medo, de querer demais. Ganância e medo são produtos da corrente do não. Se não houvesse corrente do não oculta, não haveria dúvida de que vocês conseguiriam seu intento; portanto, não haveria o medo de não conseguir. Assim, não é querer vorazmente ter alguma coisa. Se estiverem em conformidade e harmonia com as forças cósmicas, a corrente do sim vai funcionar como um fluxo muito natural, fácil e tranqüilo, no seu interior. Não é preciso pressionar. Já estando na corrente do sim, vocês podem afirmar “eu quero” com todas as forças, sem nenhum traço de ansiedade, dúvida e ganância. Sim ou não, “quero” ou “não quero” só podem ser determinados como expressões da corrente do sim ou do não depois de uma observação atenta, procurando detectar a existência ou não de uma emoção áspera, desarmônica, perturbadora.”

( O Guia. Palestra 125: TRANSIÇÃO DA CORRENTE DO NÃO PARA A CORRENTE DO SIM)

Esse trecho é algo que me ajudou e continua me ajudando muito. Ao fazer o exercício sugerido nessa palestra muita coisa se esclareceu na minha vida. No começo eu tive dificuldade com esse exercício. Porque parecia que eu dizia não a tudo na minha vida. srsrs. Eu não encontrava uma corrente do sim para fazer essa comparação.

Mas depois de um tempo eu encontrei uma. Eu usava a corrente do sim para eu tocar teclado. E realmente eu vi que minha atitude ao tocar teclado era totalmente diferente que em outras áreas da minha vida.

Ao treinar uma musica eu respeito o tempo que preciso para aprende-la. E não fico achando no primeiro erro de nota que tocar teclado não é para mim. Quando eu toco teclado eu toco para mim e não para obter aprovação alheia. Enfim eu fico realmente relaxada ao tocar teclado.

Agora vamos ver como costumava ser a minha atitude nos estudos. Digo costumava pois agora não é mais assim. Eu estudava o triplo em ralação as pessoas em geral e ainda assim não me sentia preparada. Quando eu tirava nota boa eu pensava: “grande coisa só um idiota não tiraria estudando desse jeito.” Quando eu tirava uma nota baixa eu logo pensava que não era inteligente. Eu queria ser boa aluna e ao mesmo tempo tinha algo dentro de mim que dizia que eu não podia. E era essa crença de que eu não podia que era a corrente do não.

Nesse exemplo vemos também de forma bem clara o ultimo paragrafo da palestra exposta acima. Conscientemente havia um eu quero muito forte. Mas ao mesmo tempo havia a crença do eu não posso, que seria a coerente do não. E como eu pude ver em minha própria vida. Quando há um não inconciente o querer consciente é sempre frustrado. A única saída é realmente a consciência da corrente do não. Essa é a única forma de enfraquecer essa corrente.

Um comentário:

  1. Eu procuro respeitar o TEMPO DO CRIADOR e a querer somente aquilo que me é permitido.
    Sempre respiro fundo e procuro o equilíbrio, mesmo que às vezes não seja fácil...
    Gostei do texto e mais ainda de partilhar o que é bom para você e que pode ajudar a tantos outros também.
    Abraços

    ResponderExcluir