sábado, 8 de janeiro de 2011

O Não Interior

Não interior

 

“Algum tempo atrás, quando discutimos as imagens, eu também falei da substância da alma, que é o material que registra as perspectivas e atitudes de uma pessoa para com a vida. Quando essas perspectivas e atitudes derivam de uma impressão verdadeira, e portanto prevalece uma atitude construtiva, a substância da alma é moldada de tal forma que a vida da pessoa é favorável, satisfatória, significativa, plena e feliz. Quando as impressões se baseiam em conclusões erradas, o molde da substância da alma cria situações desfavoráveis e destrutivas. Em resumo, o destino de uma pessoa nada mais é do que a soma total de sua personalidade, daquilo que ela expressa e emana da maneira como a substância da alma é moldada em termos de realidade ou irrealidade. A consciência do homem é como o escultor, sua substância de alma é como o material que ele usa para criar. É a personalidade inteira, incluindo todos os planos, que determina o destino. Se uma pessoa tem um conceito saudável, construtivo, realista e verdadeiro em uma determinada área da vida, mas apenas em alguns níveis de sua personalidade, enquanto outros níveis expressam o contrário, essa contradição e metas opostas afetam negativamente a substância da alma, mesmo que a atitude verdadeira e positiva seja mais forte e consciente e que a negativa fique oculta. Assim, é essencial revelar as áreas ocultas para entender por que fica faltando uma determinada realização na vida.

Foi somente há pouco tempo e pela primeira vez, que alguns dos meus amigos do caminho descobriram que nessas áreas ocultas, existia um não que eles jamais poderiam ter percebido antes. Ao contrário, estavam convencidos de que desejavam com todas as suas forças aquilo que não se realizava – ou de que certamente não desejavam uma experiência desagradável. Achariam absurda a simples sugestão de que essa poderia ser uma luta inconsciente.

Pois bem, esses nãos estão diretamente relacionados à imagem original, ao falso conceito que moldou a imagem na substância da alma. É esse conceito errado básico que faz o homem se afastar, rejeitar, recusar temerosamente aquilo que mais deseja, agindo com tal sutileza que a imagem parece fatalmente se confirmar. Por exemplo, se uma pessoa tem uma idéia incorreta básica de que é inadequada e não pode ser bem-sucedida, essa convicção fará com que ela se comporte de tal maneira que na realidade irá agir inadequadamente, e assim confirme a idéia original. Além disso, ela passará a ter medo do sucesso exatamente por causa da idéia de que não está à altura – e isso é assustador. Uma vez descoberto esse não específico ao sucesso, o comportamento, o modo de agir daí decorrentes, as expressões óbvias e sutis a esse respeito, vocês entenderão que a falta de sucesso não acontece porque vocês são inadequados, mas vocês são inadequados porque acham que são e temem qualquer situação que ponha isso à prova.”

(O Guia. Palestra 125: TRANSIÇÃO DA CORRENTE DO NÃO PARA A CORRENTE DO SIM)

 

Todos nós temos alguns objetivos que por mais que nos esforcemos não conseguimos concretiza-los. Particularmente comigo isso acontecia em muitas áreas da minha vida. Não importava i esforço que eu fazia os resultados sempre me pareciam muito insatisfatórios. Por muito tempo eu achei que fosse menos capaz de realizar coisas comparada com as outras pessoas em geral. Mas depois que eu entrei no pathwork descobri que se tratava apenas de um não inconsciente. E vi que os resultados insatisfarios nada tinham a ver com moinha capacidade ou incapaciddade.

Tem muito mais a ver com as falsas crenças que temos. O exemplo que o Guia dá nesse trecho se encaixa perfeitamente no meu caso. Eu me considerava inadequada, incapaz de ter sucesso. Então apesar de eu querer muito o sucesso a crença de que eu era inadequada acabava frustrando todos os meus esforços.

Não porque eu fosse realmente incapaz. Mas o fato de eu ter uma crença tão arraigada da minha incapacidade acabava me deixando nervosa exatamente nos momentos em que eu estava chegando perto da realização. Afinal uma crença como essa faz o sucesso parecer assustador. Como alguém que acredita ser incapaz poderia não temer não conseguir sustenta-lo?

Pessoas que não acreditam em si mesmas veem o cair do sucesso, digamos assim, como questão de tempo. Quando elas tem o sucesso se sentem como impostoras. Como se estivessem em um trono que na verdade não pertencem a elas. E que é só uma questão de tempo para as pessoas descobrirem isso.

Quando eu por fim enxerguei todos esses sentimentos e pensamentos em mim eu percebi que o caminho para eu conseguir minha realização não era eu me esforçar mais.  E sim questionar minhas crenças e aos poucos ir mudando-as. Até porque com crenças como essas ninguém consegue atingir objetivo algum.

Acredito que o máximo que podemos fazer para melhorar a nossa vida, torna-la mais satisfario é nos aceitarmos como somos no momento e questionarmos nossas crenças. As outras mudanças ocorrem naturalmente e são decorrentes dessas atitudes.

2 comentários:

  1. A vida é para nós conforme a realidade que vemos. E isso que vc falou no final tem tudo a ver: é preciso nos aceitarmos primeiro para que as mudanças aconteçam.

    ResponderExcluir
  2. Olá Luciana.
    Post publicado na Teia .
    Até mais minha amiga.

    ResponderExcluir