domingo, 2 de janeiro de 2011

Criação e Motivação

motivação

 

“É necessário, em primeiro lugar, compreender que ninguém cria nada sozinho. Nada novo jamais é criado. Isso seria uma impossibilidade. Mas é possível fazer uma coisa que já existe se manifestar. É um fato que tudo, absolutamente tudo, já existe. A palavra tudo não consegue transmitir o alcance desse conceito. Quando alguém fala sobre a infinitude de Deus, sobre a infinidade da criação, essa é uma parte do significado. Não existe um estado de existência, nenhuma experiência, situação, conceito, sentimento, objeto ou manifestação – de qualquer tipo ou grau – que já não exista. Existe como uma possibilidade, e no potencial já está dado o produto final. Eu entendo que é difícil para os homens aceitar essa idéia, já que é tão contrária ao modo de pensamento, de existência e de experimentação, ao nível de consciência que o homem geralmente tem. Mas quanto mais vocês aprofundarem seus pensamentos sobre esse assunto, mais fácil será perceber, entender, compreender.

Nada novo é criado, tudo já existe. Existe em outro nível de existência, de experiência, de consciência. Tudo pode ser descoberto agora mesmo, imediatamente, se e quando as obstruções específicas são eliminadas. Conhecer e entender os princípios da criação – que tudo já existe, e que o homem pode fazer essas possibilidades de existência se manifestarem – é um dos pré-requisitos necessários.

Antes de o homem poder criar novas possibilidades de desenvolvimento e extensões completamente novas de experiência em sua vida pessoal, é necessário que primeiro aprenda a aplicar essas leis da criação a suas áreas problemáticas, àqueles aspectos de sua vida nos quais está enfrentando problemas, está limitado, em desvantagem – onde se sente preso. O desenvolvimento saudável é uma seqüência da criação de uma personalidade saudável. O aprendizado e a compreensão das leis da criação só podem acontecer se uma pessoa primeiro aplicá-las às áreas atormentadas da personalidade.

Qualquer possibilidade que pode ser imaginada, pode ser realizada. Suponham que vocês estejam em uma situação de conflito, e não conseguem ver a saída. Enquanto não imaginarem a saída, vocês realmente não podem concretizar a possibilidade que já existe. Ou se seus conceitos sobre a saída são nebulosos ou irreais, também o serão as soluções temporárias que parecerão ser as únicas possibilidades. O mesmo se aplica, é claro, à sua vida como um todo, bem como a áreas específicas. Se vocês realmente compreenderem que existe um número infinito de possibilidades em qualquer situação dada, podem encontrar soluções onde até então era impossível encontrar.

É prerrogativa do homem utilizar essas leis da criação, buscar essas possibilidades infinitas para desenvolver e tomar parte das oferendas da vida. Se a vida do homem parece tão limitada, é somente porque ele está convencido de que sua vida deve ser limitada. Ele não consegue imaginar nada além do que ele vivenciou até agora, e do que vivencia no presente. Essa é precisamente a primeira desvantagem. Portanto, para poder desenvolver suas próprias possibilidades de felicidade, suas mentes devem compreender esse princípio. Vocês não podem trazer à vida o que não podem imaginar. Vocês deveriam meditar sobre essa frase, pois sua compreensão irá abrir novas portas. E também deveriam entender que há uma grande diferença entre conceber novas possibilidades de expansão, de felicidade, de um lado, e sonhar acordado, de outro. Sonhar acordado de forma desejosa, resignada, substituindo a chata realidade pela fantasia não é em absoluto o que se quer dizer aqui, e isso realmente é um obstáculo à concepção correta dos potenciais da vida. Eu estou me referindo a um conceito de realidade vigoroso, ativo, dinâmico, do que é possível. Quando vocês sabem que alguma coisa que querem ocasionar existe em princípio, já deram o primeiro passo para sua realização.

Portanto, convido cada um de vocês a refletir sobre o que realmente imaginam sobre as possibilidades para suas vidas. Se examinarem de perto a si mesmos, verificarão inicialmente que imaginam possibilidades negativas, que naturalmente temem e querem evitar. Vocês se defendem contra as possibilidades negativas. Vocês usam a maior parte de suas energias psíquicas para se defender das possibilidades negativas. Isso significa motivação negativa.

A motivação negativa não significa necessariamente uma intenção destrutiva. Quanto a isso, uma motivação positiva, nesse contexto, pode significar uma intenção ou objetivo muito destrutivo. Evitar uma possibilidade temida significa motivação negativa. Em um exame rigoroso de seus processos mentais e emocionais, vocês descobrirão que são, em grande medida, motivados negativamente. Essa é uma das primeiras obstruções que os mantêm em uma prisão imaginária e desnecessária. Isso se aplica, é claro, a todos os níveis de sua personalidade. Aplica-se ao nível mental, onde não conseguem realmente ver as perspectivas infinitas da experiência, da expansão, do estímulo, de todos os tipos de possibilidades maravilhosas e felizes que é prerrogativa de vocês concretizar nessa vida. Ela existe ao nível emocional, no qual vocês não permitem o fluxo espontâneo e natural de seus sentimentos. Com medo, ansiedade e suspeita, vocês impedem esse fluxo espontâneo do que realmente sentem. E ela existe fisicamente, quando não permitem que seu corpo vivencie o prazer que é seu destino vivenciar.”

(O Guia. Palestra 157: INFINITAS POSSIBILIDADES DE EXPERIÊNCIAS PREJUDICADAS PELA DEPENDÊNCIA EMOCIONAL)

Esse trecho da plesatra me chamou muita atenção. E esclareceu muitas coisas na minha vida. O mais esclarecer foi a parte que falou da motivação negativa. Se uma pessoa se esforça para evitar uma situação negativa o que ela faz na verdade é atrair essa situação para si. Afinal é essa a relidade que a pessoa está imaginando. É isso que ela acredita que vai acontecer do contrario não precisaria fazer nada para evita-la.

Eu posso ver que é assim que acontece em minha própria vida. Durante muito tempo em tudo o que fazia meu principal objetivo era evitar a rejeição. Eu via a rejeição por todos os lados. E hoje eu percebo que no fundo eu achava que a rejeição era algo certo. Tentava desesperadamente evita-la e nada funcionava. A verdade é que eu não conseguia me imaginar sendo aceita.

Com a crença de que a rejeição é certa ser aceita é realmente impossível. Porque mesmo que apareça alguém que consiga ver o eu verdadeiro da pessoa. Se tal pessoa vê a rejeição como algo certo, ela não vai acreditar que a outra pessoa não a está rejeitando

Isso aconteceu comigo. Eu encontrei uma pessoa que me valoriza. Mas no começo eu pensava: “ahh isso é porque ele não me conhece direito. Quando ele ver os meus defeitos ele irá embora.”  Bom ele não foi. srsrs

com o tempo eu acabei acreditando.  Mas isso só aconteceu porque ele já era uma pessoa bem consciente. Se não fosse acredito que não. Mas não porque eu não tenha nada de bom. Mas porque o nervosismo que eu ficava quando achava que alguém poderia gostar de mim era tanto que eu acabava realmente me comportando de forma inadequada por isso muitas pessoas já se afastaram de mim porque nem todos conseguem ver o que está por tras de um comportamento. Esse é apenas um exemplo de como a motivação negativa age. Pode ocorrer algo semelhante em todos os setores do vida.

No momento a minha motivação quanto a isso é simplesmente ser eu mesma. O que é simples e ao mesmo tempo complicado. srsrsr. Mas eu quero ser eu mesma sem me importar tanto com a aceitação e rejeição. E eu percebo que fazendo assim a aceitação acaba sendo bem maior.

Um comentário:

  1. Olá Luciana.
    Seu texto serviu para mim, pois tento a todo momento evitar possíveis situações "desconfortáveis",e quase sempre não dá certo !rsr.
    Post publicado .
    Até mais.

    ResponderExcluir