terça-feira, 9 de novembro de 2010

O que é o Caminho?

image_caminho

 

“O seu eu espiritual não pode ser libertado enquanto você não aprender a sentir todos os seus sentimentos, enquanto não aprender a aceitar todas as partes do seu ser, por mais destrutivo que isso possa ser nesse momento. Não importa o quanto você possa considerar negativa, mau, fútil, egoísta uma faceta de si mesmo (ao contrário de outros aspectos mais desenvolvidos de sua personalidade): é absolutamente necessário aceitar e lidar com todos os aspectos do seu ser. Nenhum aspecto deve ser poupado, posto de lado e encoberto na vã esperança de que assim ele não terá importância e, de alguma forma, desaparecerá. Ele tem importância, meus amigos. Nada que existe em vocês é desprovido de força. Por mais oculto que esteja, ele cria condições de vida que vocês acabarão lamentando. Esta é uma das razões pelas quais vocês precisam aprender a aceitar os seus aspectos negativamente criadores. Outra razão é que, por mais destrutivo, cruel e mau que seja, todo aspecto da energia e da consciência é originalmente, em essência, belo e positivo. As distorções precisam ser retransformadas na essência original. A energia e a consciência podem voltar a ser positivamente criadoras, mas somente quando sofrem o efeito do conhecimento e da intenção positiva. Se não fizerem isso, vocês não poderão chegar até o seu próprio âmago criativo.

Isto, basicamente, é o caminho. O caminho, portanto, só é difícil porque o homem, em sua vaidade, tem uma falsa idéia do que ele deveria ser agora. Esta é a única dificuldade: a ilusão a respeito do que vocês são e do que deveriam ser, e a ilusão de que vocês não podem, não devem ter determinados problemas e atitudes. A menos que renunciem a essas ilusões e façam um levantamento de tudo que existe em seu íntimo, vocês continuarão necessariamente separados de sua própria essência espiritual. Essa essência está em constante auto-renovação; está sempre conciliando conflitos aparentemente insolúveis. Essa essência fornece a vocês tudo de que jamais precisarão para viver a vida e cumprir a tarefa que vieram cumprir com o seu nascimento. Ela é o seu centro-Deus. Vocês são uma expressão de tudo que existe - a Consciência de Tudo. Se continuarem separados dela por terem medo demais de renunciar à vaidade mesquinha, o seu desejo jamais será realizado. Não importa o que prometam a vocês, não existe panacéia alguma capaz de dar-lhes aquilo de que precisam e verdadeiramente desejam sem passar por essa estrada e enveredar pelas suas próprias áreas sombrias. Nenhuma prática pode ajudar vocês a satisfazer esse anseio, por mais que vocês se dediquem à meditação e à concentração.
Essas práticas podem ser instrumentos úteis, a serem usados em aditamento ou em conjunto com o auto-exame, que o homem quer evitar a todo custo. A menos que vocês tomem esse Agora tal como é, com toda a feiúra que possa existir, bem como a sua beleza já existente, vocês não poderão descobrir que a beleza é aquela pessoa da qual vocês ainda não estão conscientes, mas com a qual desejam entrar em contato, perceber e expressar

 

Este é o caminho, meus amigos. Muito, muito poucas pessoas nesta terra estão dispostas a enveredar por ele. Um número ainda menor vai até o fim. A maioria das pessoa tem a vã esperança de encontrar outra forma de atingir a satisfação, contornando as áreas sombrias. Elas não querem saber que essas áreas sombrias interiores é o que as torna infelizes e solitárias. Algumas começam, mas quando se aproximam dessas áreas sombrias recuam, mudam subitamente e voltam toda a sua energia destrutiva para fora, contra aqueles que poderiam ajudá-las a encontrar o caminho. Elas não querem dar a si mesmas a oportunidade de encontrar o caminho passando pela escuridão.

 

Mas aqueles que têm a coragem de prosseguir até o fim, inflexível e pacientemente, que glória os espera em seu centro mais íntimo!
Aqueles que se abstêm de seguir o caminho até o fim normalmente têm como empecilho a ilusão de que, se não são a perfeição de suas ilusões, então são irremediavelmente maus. Essa ilusão deve ser deve ser objeto de questionamento, reflexão, trabalho e exame. Se vocês fizerem isso, eliminarão um importante obstáculo. Admitam, em princípio, a possibilidade de que essas não são as únicas alternativas. Tenham a mente aberta para encontrar o caminho interior que lhes permite serem totalmente honestos e enxergarem o pior sem perderem a fé em si mesmos. Ocorrerá então um milagre (o que parece ser um milagre, mas na realidade é muito lógico): simplesmente por terem encarado e admitido o pior, vocês encontraram seu verdadeiro valor.”

( O Guia. Palestra 204: O que é o caminho)

Esse trecho tem tudo a ver comigo. Alias tudo no pathwork tem a ver comigo. Essa era realmente uma ilusão que eu tinha. Ei tinha uma imagem de como eu deveria ser e de como minha vida deveria ser. E quando a realidade não correspondia a essa imagem eu me sentia irremediavelmente má como o Guia diz nessa palestra.

E sabe acho que é única e exclusivamente esse tipo de crença que torna o caminho difícil. é a auto-condenação que torna o caminho difícil, pelo menos comigo assim. Eu notei que quando eu me auto recrimino os sentimentos fluem com mais facilidade. Se eu aceito a raiva ela passa mais rápido, ela vai se dissolvendo. Mas se eu não a aceito ela aumenta.

Estou começando a entender a frase: “o que eu resisto persiste”. Quando paramos de nos auto condenar tudo se torna muito mais fácil.

Um comentário:

  1. Florzinha:
    Esse Guia sabe das coisas. Ele diz o mesmo que os mestres ascensionados.
    Com certeza o autoconhecimento com auto-aceitação é o Caminho.
    beijos

    ResponderExcluir