quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Maturidade Emocional

 

liberdade4

PERGUNTA: A primeira pergunta refere-se a ultima expressão que usou. Por favor, defina o que é maturidade emocional.

 


RESPOSTA: Maturidade emocional é antes de mais nada, a habilidade de amar, a capacidade de amar. Muitas pessoas imaginam que a têm. Naturalmente a maturidade emocional é relativa, e é uma questão de grau. Porem, onde existe o medo de ser ferido, medo do desapontamento onde existe medo dos riscos de vida, a maturidade emocional não existe. Maturidade emocional desconhece o egoísmo ( naturalmente, isso é relativo na terra, não pode ainda ser absoluta em sua esfera de existência). Quanto mais egoísta forem, mais imaturos são. Todos vocês sabem que podemos ser extremamente generosos nas pequenas coisas exteriores; isto pode ser apenas uma camuflagem para acobertar seu egoísmo ou egocentrismo emocional. Poderão dar suas posses e serem generosos nesse sentido; mas, vocês tem medo de amar e arriscar de serem feridos, assim negam o amor dos outros. Portanto, vocês são emocionalmente imaturos apesar de possuírem maturidade intelectual. Maturidade emocional significa não ter medo de pagar o preço pela vida. E esse “preço pela vida” inclui magoas e desapontamentos ocasionais. A pessoa madura sabe disso, e espera isso, não os teme e reconhece o valor disso; porque ao se retirar em reclusão, e voltar-se para dentro, ela frustra não somente os outros, mas também a si mesmo. Maturidade emocional significa não ter medo de suas próprias emoções; porque se tiverem emoções negativas, seu medo delas não as fazem desaparecer. Ao contrário, somente encarando essas emoções negativas, poderão entender sua origem, suas razões; e somente então poderão ter controle real sobre elas, não o controle falso ao suprimi-las. Suas emoções positivas também não serão temidas, porque não se importarão com uma magoa ocasional; e antes, se arriscarão ao invés de retirar suas emoções positivas dos outros.
Porque se puderem doar suas boas emoções aos outros; envolvendo o outro com seu calor, conforto e ternura, isto é mais importante do que aquilo que pode acontecer a vocês mais adiante.

Maturidade emocional significa ser capaz de tomar uma decisão completa interiormente e saber, que não se pode ter as duas coisas, ambas as vantagens.. Inconscientemente, a maioria das pessoas querem isso constantemente, sem perceberem que isto os leva a conflitos consigo mesmos e com seu ambiente. A pessoa emocionalmente madura saberá que sempre há um preço a ser pago. Como já havia dito antes em algumas sessões particulares: maturidade emocional, saúde emocional, significa saber o que se quer; querer o que se pode ter, e estar disposto a pagar por isto. Renunciar ao egotismo em todos os níveis de seu ser, de ir até as profundezas de suas reações inconscientes (que podem ser tão contrárias as suas reações exteriores), isto é a verdadeira maturidade emocional.
Essas são as verdades universais, ensinadas por todas as religiões e filosofias que tenham algum mérito. A humanidade tentou por muito, muito tempo vivenciar essas idéias. Essas verdades são conhecidas; no entanto, até aqui, o indivíduo ignorou o grande perigo da auto-decepção, ao ignorar as muitas camadas da consciência onde pode esconder outras reações além daquelas que percebe conscientemente e também aquelas que deseja e que estão de acordo com essas verdades. Assim, encontrarão muitas vezes uma pessoa que exteriormente age de acordo com essas verdades universais, no entanto sentem que isto não é completamente genuíno. Interiormente ela esta escondendo muitas reações que são contrárias a essas verdades espirituais universais.
O Caminho pelo qual tenho o privilégio de conduzi-los, vai evitar esses perigos, de modo que suas reações exteriores irão tornar-se uma com as mais interiores. Sejamos claros sobre nossas metas. Queremos encontrar aquela parte de suas reações egoístas onde ainda são subdesenvolvidos, primitivos. Muitas vezes, no inicio, isso pode vir como um choque por ser tão diferente de suas sinceras reações conscientes exteriores. Seja que estas reações externas são realmente sinceras no sentido que isso foi o melhor que puderam fazer, ou seja, que são quase hipocrisias conscientes, essa máscara externa (que pode ser aplicada em ambos os casos) precisa ser dissolvidas para que possam olhar por dentro de suas almas. Lá encontrarão muitas tendências e sentimentos diametralmente opostos ao que acreditam sobre si mesmos. A vida até aqui, mostrou-lhes que a máscara não lhes deu a recompensa que desejavam ou pensaram obter através dela. Finalmente, isso os deixou zangados. Em seu “eu máscara” podem ter-se inclinados para trás na tentativa de esconder o que esta por trás disso. Assim, sentem-se abusados, aproveitados, sem, no entanto perceberem, que não foi a bondade como tal que foi tão pouco recompensada, mas antes, a bondade falsa e compulsiva. Com essa falsa conclusão poderão estar tentados a ir ao outro extremo; viverem através da parte que descobriram atrás da primeira máscara, acreditando que agora ao menos, são verdadeiros consigo mesmo.
Sim, até certo ponto essa parte existe em vocês e precisam admiti-la. Mas reconheçam que isso, também, é novamente, apenas uma camada superficial. Olhem para o que existe por trás da rebelião e raiva. Encontrem em si mesmos aquilo que sabe como manter o equilíbrio. Seu eu verdadeiro não é tão bom quanto parece ser na superfície a qual estão apenas retirando (taking down). Nem é tão “mau” quanto cheio de ódio, agressão, rebelião e raiva como são debaixo dessa capa. Todas essas reações são apenas uma “reação de perplexidade perante a vida” e o resultado de suas conclusões emocionais falsas. Use o nível de sua raiva e rebelião admitindo-a para si, sentindo o que haviam reprimido por tanto tempo, mas não considere isso como uma resposta final do seu eu, como aquilo que fariam se tivessem que viver (live yourself out) desse modo. Descubram a diferença entre reprimir essas emoções e considere-as como um sintoma do seu não saber as respostas para suas vidas; de não ter ainda encontrado a chave do seu ser.

 

Tentem entender isso, meus queridos, e vocês ficarão conscientes das armadilhas desnecessárias. Somente encontrarão a resposta se tiverem a coragem de admitir essa segunda camada sem se manter nela; e se reconhecerem sua falsidade como já reconheceram a camada da capa ou máscara, como tendo sido falsa e baseada em conclusões falsas. Então, serão capazes de ser verdadeiros consigo mesmo, sem exagerar a camada que descobriram. Assim, vão entender que seu (altruísmo ou generosidade) anterior foi ineficiente porque era falsa (mas só por isso, e não pelo altruísmo como tal). Esse estar alerta e modo de abordar, ira conduzi-los a uma segura maturidade emocional. Isto vai torna-los verdadeiramente homens e mulheres. Digo isso deliberadamente, não digo agora seres humanos, digo homens e mulheres. Porque ninguém pode ser verdadeiramente um homem --- ou uma mulher --- se não tiver maturidade emocional.
(O Guia. Palestra 49: OBSTÁCULOS NO CAMINHO: COISAS ANTIGAS, FALSA CULPA, E QUEM - EU?)

 

Achei essa pergunta e resposta bem interessante. Através dela eu pude ver o quanto eu era imatura ao iniciar esse caminho. Maturidade essa que tem aumentado a medida que eu aumento meu auto conhecimento.

Uma das formas em que minha imaturidade se manifestava era na minha “proteção” contra as magoas. Por eu ter tido certas magoas durante a minha infância. Eu acabei me fechando. Acabou surgindo a seguinte crença: “Não vale a pena eu tentar me aproximar das pessoas. O risco de rejeição é muito grande. Melhor esperar elas se aproximarem de mim.” Eu achava que ao fazer isso eu iria garantir que todos que se aproximassem de mim não iriam me rejeitar. Mas o fato é que raramente se aproximavam. Até porque eu não estava aberta para relacionamentos. Seja de que tipo fosse.

 

Eu percebi que ao tentar evitar a rejeição eu também evitava o encontro com pessoas as quais eu teria afinidade e poderia me dar bem. Então eu privava tanto a mim quanto aquela pessoa uma amizade verdadeira. Além do mais essa atitude é imatura porque eu queria segurança total de que não seria rejeitada por ninguém. E essa segurança não existe. Ninguém consegue agradar a todos. Mas se você possue auto –aceitação a rejeição de alguns não é arrasadora. Só se torna arrasador quando há uma substituição da auto-aceitação pela aceitação dos outros. Se houver auto-aceitação eu e qualquer outra pessoa conseguiremos conviver bem com o fato de que nem todos nos aceitarão.

é imaturidade reprimir as emoções negativas pois esse ato por si só já demonstra uma não aceitação. Eu reprimia a raiva porque achava que não poderia te-la que isso faria de mim uma pessoa ruim. Então além de reprimir eu negava. E com isso ela ia para o inconsciente. E qualquer coisa no inconsciente causa prejuízo pois perdemos o controle sobre elas.

 

Bom esses são alguns exemplos de minha imaturidade. srsrs. Agora eu já estou mais madura como resultado do aumento da minha consciência. E quando conseguimos maturidade emocional nós ficamos mais livres e nos soltamos de nossas amarras.

4 comentários:

  1. Olá Luciana!

    Realmente só quem já percorreu os caminhos da vida é que pode dizer que tudo o que há no texto é verdadeiro. Quando aprendemos praticando, com o tempo, vamos adquirindo habilidades pelo desenvolvimento permitido, mesmo na descrição de cada dificuldade enfrentada, e cada momento de avanço conquistado. Está adquirindo bastante conhecimento para suas práticas! Parabéns por mais esta troca de conhecimento tão importante a todos!

    Um abraço,
    "Todo o Conhecimento é Luz que Inspira a Alma" -*Vera Luz*-

    ResponderExcluir
  2. A imagem que usou para descrever as palavras do teu post já bem diz tudo - É livrar-se das amarras e partir para a liberdade incondicional dos pensamentos...

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pelos comentarios!!

    E Vera realmente essas coisas só sabe quam viveu ou vivi um processo como esse. POis tudo parece muito contraditório. srsrs

    E Malu essa foi realmente a idéia da imagem. O auto-conhecimento nos torna mais livres!!!

    ResponderExcluir
  4. Ótimo post Luciana, estamos sempre aprendendo, todo dia é dia de aprender, pois pra isto estamos aqui, correto? Muito útil, gostei.

    ResponderExcluir